quarta-feira, 29 de abril de 2015

FIQUE POR DENTRO DO QUE ROLOU NO FASHION REVOLUTION DAY!


Nesta ultima sexta, 24/04 participei de um incrível ciclo de palestras repleto de debates e reflexões sobre sustentabilidade e uma real conscientização de moda.


Fashion Revolution Day (o dia da Revolução da Moda) foi, e será "comemorado" todo dia 24 de Abril, em memória das milhares de pessoas que morreram na catástrofe do Rana Plaza, em Bangladesh, nesta mesma data em 2013, em uma das maiores tragédias ocorridas na indústria da moda.


E o mais triste de toda fatalidade, é que todas essas pessoas que morreram, trabalhavam em condições precárias, recebendo salários absurdamente baixos e costurando para renomadas marcas, que, poderiam vir a ser, e muitas vezes são consumidas por nós. Por tanto,  podemos dizer que estas pessoas morreram costurando nossas roupas, e merecem serem lembradas nessa data tão importante e tão lamentável.




Pesquisando na internet, encontrei o depoimento de um trabalhador do subúrbio de Dacca -Bangladesh-, que presenciou este desastre:
“É como se as mortes não tivessem sido absolutamente em vão. É um jeito triste de fazer as coisas mudarem, e vem com um custo muito alto, mas, ao menos, estamos vendo o governo reagir”
Acho bonito ver que estas mudanças citadas na fala daquele trabalhador não sensibilizaram apenas o governo, mas a população como um todo.


E a partir do ano passado foi dada a largada de uma grande revolução que está apenas começando, mas que, no seu segundo ano, já conseguiu mobilizar mais de 70 países.

Este é apenas o inicio de algo grandioso, e sei que juntos poderemos fazer a diferença..

Finalizarei esta introdução mostrando a importância do Fashion Day Revolution (principalmente para nós seguidores árduos do mundo da moda), com um vídeo, e a seguinte pergunta:




"Você alguma vez na vida parou para pensar quem faz suas roupas?"




Vivemos em um mundo extremamente capitalista, que desencadeia um consumo exorbitante, repleto de compras impulsivas e desnecessárias. 

O mercado tem um único foco: Lucrar!

Você já parou para pensar o que está na moda nessa estação? Anos 70 e todos os seus estilos (que não são poucos), Anos 60, Militarismo, Animal Print, Florido, Minimalista, Sport, entre tantas outras... 

São tantas tendências, que é impossível a gente se auto definir.
Queremos sempre estar de acordo com o que nos é imposto pelas mídias, e então... 'tcharam!!!' Começa o consumo totalmente inconsciente, sem percebermos que tudo, de certo modo, está na moda, porém nem tudo combina com o nosso estilo e personalidade.

Não estou aqui para dizer que é errado consumir moda, muito pelo contrário,
sou super a favor do consumo da moda, mais já que vamos consumir,
 que seja de forma CONSCIENTE!

E a Tendere Brasil, junto com um grupo incrível de palestrantes, mostraram através de varias dicas e experiências que é possível sim estar sempre bem vestidos sem deixar de lado o cuidado e a responsabilidade do que está ao nosso redor.


Quer saber como?

O primeiro passo, e, acredito que o mais importante, é o auto conhecimento. Pois a partir dele, você entenderá melhor quem você é, qual o seu estilo e o que realmente te representa.

Houve até uma frase, dita em uma das palestras, que eu achei demais..

"Primeiro saiba quem você é, depois se enfeite de acordo"

Segundo passo, conheça seu guarda-roupa, e abuse da criatividade! Tente montar o maior número possível de looks por peça que tiver. Não tenha vergonha de repetir roupa.

O Guarda-roupa é o nosso repertório de vida, e porque não reaproveitar essas memórias?

Você já pensou em customizar aquela peça que você não usa mais a anos? Além de evitar um possível descarte, você ganha uma nova peça, única e exclusiva, sem gastar 'nadica'!

E caso você olhe para aquela peça e realmente não ache nenhuma finalidade, não jogue no lixo! Doe para alguém, ou procure um grupo de troca e venda de roupas e anuncie suas peças. Hoje em dia existem vários no face.

Depois de todas estas análises, ficará muito mais fácil você entrar em uma loja focada em comprar peças certeiras de modo consciente.

Ah, e visite brechós!
Você pode se surpreender com alguns achados..
Não se sinta constrangida em visitá-los, divirta-se!


O consumo é visto como uma forma material de construir identidades, nós nos tornamos o que consumimos!


Lembrando que vivemos em um ciclo de causa e efeito, onde toda ação gera uma ou mais consequências.


Portanto eu convido você a construir sua identidade por meio de um olhar humanizado, fazendo escolhas inteligentes, você é responsável pelos seus atos.


Finalizo está postagem com este vídeo.


"Você carrega a história das pessoas que constroem suas roupas" 

Com as Consultoras de Moda Fernanda Junqueira e Ana Vaz, e a Pesquisadora e Empresária Patricia Sant Anna

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...